sábado, 9 de agosto de 2014

Ex-marido é preso por estuprar e manter mulher em cárcere privado

Alex Armindo Anacleto de Souza, de 31 anos, foi preso em flagrante na manhã de ontem (8), por volta das 10h, na Rua dos Artistas, no Bairro Jardim Eldorado, em Três Lagoas (MS). A Polícia Militar foi acionada com a informação de que Alex pediu socorro a alguns vizinhos, alegando que ele e a namorada, de 20 anos, teriam sido vítimas de um roubo seguido de cárcere privado, durante a madrugada. No local, os policiais descobriram a farsa. Os militares encontraram a jovem e ela revelou que, na noite da última quinta-feira (7), seu ex-marido, Alex, a convidou para ir a uma choperia. A mulher aceitou, pois segundo ela, até o momento tudo indicava que o homem aceitava o fim do relacionamento e queria manter a amizade.
Depois do encontro, segundo a vítima, Alex conduziu o carro até um local escuro, às margens da rodovia BR-262, perto de uma plantação de eucalipto, onde tentou manter relações sexuais com ela. A jovem negou e passou a ser agredida com socos e chutes. Conforme o relato, a cada negativa, o acusado ficava mais violentou, chegando a jogar a ex contra a estrutura do veículo e bater a cabeça dela no vidro traseiro do carro.
                                             foto
Alex então levou a mulher para sua casa, onde ela foi amarrada, ameaçada com uma faca e obrigada a comer um pedaço de porção de maconha. Ela afirmou que o homem é usuário da droga. De acordo com o jovem, as agressões continuaram: com uma faca, Alex começou a cortar o cabelo dela e depois usou uma máquina para raspar sua cabeça, deixando-a completamente careca. A vítima disse ainda que, apesar de continuar se recusando a fazer sexo com ele, o homem se aproveitou do fato dela estar amarrada e a estuprou quase a noite toda.
Na tentativa de escapar da situação, a jovem prometeu a Alex que, se ele chamasse a polícia, os dois diriam ter sido roubados e mantidos em cárcere privado. O acusado concordou com o plano só depois que a vítima aceitou reatar o relacionamento. Para ajudar na farsa, o rapaz saiu correndo da residência, pedindo que os vizinhos chamassem a polícia. No imóvel, a PM encontrou vestígios de sangue no lençol da cama, nos travesseiros, pelo chão, na máquina de cortar cabelo e na lataria do carro. Alex Armindo foi preso e disse aos policiais que teria sido vítima de uma quadrilha de Campo Grande da qual a mulher era integrante. Segundo ele, tudo teria sido uma armação para incriminá-lo. O homem já tem passagens pela polícia por violência doméstica e por praticar cárcere privado contra outra ex-mulher em Água Clara (MS).  
(Com informações do Minuto MS)