terça-feira, 20 de novembro de 2018

Hora da mudança - Texto foi enviado pelo WhatsApp

Hora da mudança

É chegado o momento
De dançar uma nova dança
Está nascendo um sentimento
É a hora da mudança.

A Lagoa Grande acorda após 12 anos
De uma forasteira governança
Depois de muitos enganos
É a hora da mudança.

Os teus filhos não fogem à luta,
Tua história mostra pujança
Chegou a certeza absoluta
É a hora da mudança.

Durante muito tempo
Deu de comer à forasteira pança
E os teus filhos com fome aqui dentro
É a hora da mudança.

O momento é chegado
Quem tem fé, nela se lança
O povo esquecido e desprezado
Pede a hora da mudança.

Uma pequena minoria
Que tem a vida mansa
Decerto não gostaria
De ver a hora da mudança

Mas a hora é chegada
Porque a população um dia se cansa
De viver abandonada
É a hora da mudança.

Só quem sofre é o povo,
Mas hoje se vê a esperança
O sentimento atual é novo
É um sentimento de mudança.

O querer de um hoje é de todos
Uns já estão até com ânsia
A voz é uníssona de um só povo
É hora da mudança.
(Maylon Specter)

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Eleições 2018: Conheça Dacio Alves o nosso futuro Deputado Federal!!

Este pequeno grande homem, tambem, mesmo sem ser político, realiza ações humanitárias em mais de 40 municípios maranhenses, onde já salvou vidas e foi até reconhecido pela associação Brasileira das Forças Internacionais de Paz da ONU.
Então, é esse o real motivo das pessoas o ouvirem e também se identificarem com a história desse maranhense guerreiro que não mede esforços para ajudar os menos favorecidos.

                                     





                          

     

                                 

                                    

#Federaldasaude

domingo, 29 de julho de 2018

Evento dedicado aos Pais de Lagoa Grande do Maranhão contou com a presença de Rogério Costa Pitbull!

Um evento direcionado ao dia dos Pais, organizado pelo Ex vereador Josélio de Andrade ,Valdir Melo, Xota e Chico da Aldair ontem(28/07/2018), reuniu uma multidão na praça central da cidade de Lagoa Grande do Maranhão.


Lideranças políticas e população ficaram felizes com a presença do pré-candidato a deputado estadual pelo PSDB, Rogério Costa Pitbull , o mesmo veio visitar nossa cidade e foi muito bem recebido!









Rogério Costa Pitbuull conversou com várias pessoas durante o evento!






























sábado, 3 de março de 2018

Casos de febre amarela estão sob investigação no Maranhão

SÃO LUÍS - O Maranhão, na prática, está sob alerta em relação à febre amarela. O Ministério da Saúde (MS) confirmou que dois possíveis casos no estado são investigados. Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde confirmou que os casos estão em apuração.

Caso os registros tenham diagnóstico positivo para a doença, a próxima estratégia das pastas estadual e federal será evitar um possível surto. Especialistas já apontavam a O Estado, conforme publicação no dia 31 de janeiro deste ano, o Maranhão como uma área endêmica para a febre amarela, por suas condições climáticas e proximidade com áreas de disseminação do mosquito transmissor.
Vacinação contra a febre amarela vem sendo muito procurada por causa da possibilidade de surto no país (Foto: De Jesus / O ESTADO)


De acordo com o Departamento de Patologia da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), o último caso confirmado de febre amarela em ser humano foi registrado no estado em 1992. “Não estamos totalmente sem o risco, já que a doença está ocorrendo em áreas de parques, zonas rurais e há cidades em nosso estado cercadas por localidades assim”, alerta a professora da UFMA, Maria dos Remédios Carvalho.

Desde o fim de janeiro deste ano, quando o MS recomendou que os setores de controle epidemiológico do estado executassem ações para intensificar a vacina contra a doença, o Maranhão está incluído nas ações estratégias de prevenção. Apesar do apelo inicial, nos primeiros dias da campanha, poucas pessoas na capital maranhense compareceram aos postos de saúde para se imunizar. Em nota, a SES informou que, desde o início do ano, são executadas ações em cidades com maior risco da doença, em especial, Balsas, Imperatriz, Barra do Corda, Rosário e São João dos Patos.

No primeiro mês de 2018, além dos casos sob investigação, outra possível ocorrência de febre amarela foi registrado no estado. No entanto, descartado em seguida após a realização de exames. Com a intensificação do período chuvoso, aumenta o alerta quanto ao combate dos focos (vistos preferencialmente em água parada) de transmissão do mosquito.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou, em nota, que os casos suspeitos de febre amarela no Maranhão, registrados no Informe nº 15 do Ministério da Saúde, tiveram como fonte de informação o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), sendo três casos notificados. Um caso notificado por São Paulo (SP), cujo município de residência do paciente é Bom Jesus das Selvas, foi descartado; um caso notificado por Teresina (PI), cujo município de residência é Santa Luzia, está sob investigação; e, um caso notificado por São Luís, cujo município de residência é Santa Inês, foi descartado por critério laboratorial, porém, o descarte ainda não consta no sistema.

Números
2.867 – notificados
785 – em investigação
723 – confirmados
1.359 – descartados
237 – óbitos
Maranhão
3 – notificados
2 – em investigação
1 – descartado

Fonte: Ministério da Saúde (MS)
SAIBA MAIS
De acordo com o MS, incluindo o Maranhão, 785 casos de febre amarela estão sob investigação em todo o país. Segundo a pasta federal, 237 pessoas entre 1º julho de 2017 e 28 de fevereiro deste ano já morreram no Brasil em virtude da doença.
A Fundação Oswaldo Cruz informou que, no próximo ano, deverá ser iniciada uma nova etapa de testes clínicos com modelos de vacina contra a doença. A atual, oriunda de 1937, usa apenas o vírus atenuado e pode causar efeitos colaterais, dependendo do perfil do(a) paciente.


Fonte: O estado

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Governo divulga calendário do Bolsa Família 2018 e novos valores, confira

O Bolsa Família é o maior programa de distribuição de renda do Brasil, e foi criado no ano de 2004, e tem por objetivo combater a pobreza e miséria no país. Se você é beneficiário do Bolsa Família, confira logo abaixo o calendário do Bolsa Família 2018, o valor e as regras do programa:

Tipos de benefícios:

Benefício Básico: concedido às famílias em situação de extrema pobreza (com renda mensal de até R$ 85,00 por pessoa). O auxílio é de R$ 85,00 mensais.

Benefício Variável: para famílias pobres e extremamente pobres, que tenham em sua composição gestantes, nutrizes (mães que amamentam), crianças e adolescentes de 0 a 16 anos incompletos. O valor de cada benefício é de R$ 39,00 e cada família pode acumular até 5 benefícios por mês, chegando a R$ 195,00.

Benefício Variável de 0 a 15 anos: Destinado a famílias que tenham em sua composição, crianças e adolescentes de zero a 15 anos de idade. O valor do benefício é de R$ 39,00.

Benefício Variável à Gestante: Destinado às famílias que tenham em sua composição gestante. Podem ser pagas até nove parcelas consecutivas a contar da data do início do pagamento do benefício, desde que a gestação tenha sido identificada até o nono mês. O valor do benefício é de R$ 39,00.

Benefício Variável Nutriz: ​Destinado às famílias que tenham em sua composição crianças com idade entre 0 e 6 meses. Podem ser pagas até seis parcelas mensais consecutivas a contar da data do início do pagamento do benefício, desde que a criança tenha sido identificada no Cadastro Único até o sexto mês de vida. O valor do benefício é de R$ 39,00.

Benefício Variável Jovem: Destinado às famílias que se encontrem em situação de pobreza ou extrema pobreza e que tenham em sua composição adolescentes entre 16 e 17 anos. O valor do benefício é de R$ 46,00 por mês e cada família pode acumular até dois benefícios, ou seja, R$ 92,00.

Benefício para Superação da Extrema Pobreza: Destinado às famílias que se encontrem em situação de extrema pobreza. Cada família pode receber um benefício por mês. O valor do benefício varia em razão do cálculo realizado a partir da renda por pessoa da família e do benefício já recebido no Programa Bolsa Família.

Observação: As famílias em situação de extrema pobreza podem acumular o benefício Básico, o Variável e o Variável Jovem, até o máximo de R$ 372,00 por mês. Como também, podem acumular 1 (um) benefício para Superação da Extrema Pobreza. ​

Como se cadastrar

Se sua família se encaixa em uma das faixas de renda definidas pelo programa, procure o setor responsável pelo Bolsa Família no seu município. É necessária a apresentação do documento de identificação para fazer parte do Cadastro Único dos Programas Sociais do Governo Federal.​

Por: Itaberaba Notícias 

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Temer assina decreto que define salário mínimo em R$ 954 no ano de 2018

Valor do salário mínimo, que atualmente é de R$ 937, terá reajuste de R$ 17. Medida valerá a partir de 1º de janeiro.


O presidente da República, Michel Temer, assinou nesta sexta-feira (29/12) decreto que fixa em R$ 954 o valor do salário mínimo em 2018, aumento de R$ 17 em relação ao valor em vigor. Atualmente, o salário mínimo está em R$ 937.

A medida será publicada ainda nesta sexta em edição extra do "Diário Oficial da União". O reajuste valerá a partir de 1º de janeiro.

O reajuste do salário mínimo é menor do que a estimativa que havia sido aprovada pelo Congresso Nacional, de R$ 965. Com isso, o governo prevê economizar R$ 3,3 bilhões no ano que vem.

O decreto presidencial estabelece ainda que o valor diário do salário mínimo corresponderá a R$ 31,8, e o valor horário, a R$ 4,34.

O valor de R$ 954 que valerá para 2018 é 1,81% maior que os R$ 937 do salário mínimo de 2017.

Cerca de 45 milhões de pessoas no Brasil recebem salário mínimo, entre aposentados e pensionistas, cujos benefícios são, ao menos em parte, pagos pelo governo federal.

Como é reajustado o salário mínimo

O reajuste do salário mínimo é feito a partir de uma fórmula que soma:

A variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior, calculado pelo IBGE;
E o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes.
No caso de 2018, portanto, está sendo somado o resultado do PIB de 2016, que foi de queda de 3,6%, com o INPC de 2017. Como o resultado do PIB de 2016 foi negativo, o reajuste do salário mínimo é feito apenas pela variação do INPC.

Neste caso, portanto, o 1,81% de variação do INPC é uma estimativa do governo, já que o percentual exato só será conhecido em janeiro.

Entre janeiro e novembro de 2017, a variação do INPC foi de 1,80%. Já a mais recente avaliação do mercado financeiro, colhida pelo Banco Central na semana passada, estima que a variação do INPC neste ano fique em 2,16%.

Economia de R$ 3,3 bilhões

Com a decisão de conceder um reajuste R$ 11 menor em relação à estimativa anterior de R$ 965, o governo economizará cerca de R$ 3,3 bilhões em gastos em 2018.

"Cada um real de aumento no salário mínimo gera um incremento de R$ 301,6 milhões ao ano nas despesas do governo", informou o Ministério do Planejamento na proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) encaminhada ao Congresso em abril.

Números oficiais mostram que o benefício de cerca de 66% dos aposentados equivale ao salário mínimo. A correção do mínimo também impacta benefícios como a RMV (Renda Mensal Vitalícia), o seguro-desemprego e o abono salarial.

O valor do salário mínimo proposto para o próximo ano ainda está distante do valor considerado como "necessário", segundo cálculo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

De acordo com o órgão, o salário mínimo "necessário" para suprir as despesas de uma família de quatro pessoas com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência deveria ser de R$ 3.731,39 em novembro deste ano.

Fonte: G1


quinta-feira, 30 de novembro de 2017

TCE/MA alerta municípios sobre atualização de Portais da Transparência

                       

Os municípios maranhenses ainda não atingiram um patamar de atualização permanente de seus portais da transparência, exigência legal controlada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA). A quinta avaliação realizada pelo órgão desde que a fiscalização trimestral teve início, em setembro de 2016, confirma a permanência de uma oscilação preocupante, pelos prejuízos que podem acarretar à população.


A avaliação realizada em outubro passado contou com a inclusão de dois novos critérios. Para que o portal seja considerado regular, o município precisa contar agora com instrumentos de Transparência que garantam ampla divulgação, inclusive por meio eletrônico, das peças orçamentárias e relatórios da Lei de Responsabilidade Fiscal (art. 48).

Além disso, é necessário que haja compatibilidade das informações prestadas, ou seja, os dados disponibilizados no Portal da Transparência serão checados por meio do cruzamento de dados com aqueles apresentados nos relatórios resumidos da execução orçamentária e gestão fiscal, no período correspondente.

A auditora Helvilane Araújo lembra que a introdução de novos critérios não foi o fator determinante para o reduzido número de prefeituras regulares. “O descumprimento do art. 7º do Decreto 7.185/05 devido a insuficiência de informações no Portal (PMQ) foi o fator que mais contribuiu para a irregularidade, seguido pela indisponibilidade da informação em tempo real (TRA)”, destaca.

No que se refere à responsabilização dos gestores, o controle teve seu alcance ampliado. Até então, o resultado da avaliação era informado somente na Certidão Eletrônica do Tribunal. A partir de agora, em razão de acordo de cooperação técnica envolvendo Atricon, Instituto Rui Barbosa (IRB), Controladoria Geral da União (CGU) e Ministério Público (MP), o resultado das avaliações será informado diretamente ao sistema de convênios (SICONV). Convém lembrar que a irregularidade com o Portal da Transparência impossibilita a celebração de convênios estaduais e federais.

“Com isso, os municípios que não estiverem em dia com seus portais da transparência ficam impedidos também de celebrar convênios com entes federais”, alerta o secretário de Controle Externo, Bruno Almeida. Segundo ele, o TCE tem mantido contato permanente com as áreas das prefeituras responsáveis pela atualização dos portais, visando evitar que grandes parcelas da população do estado sejam penalizadas por conta da falta de transparência das administrações.


Fonte: TCE/MA