sábado, 6 de dezembro de 2014

#ABL : Maranhense Ferreira Gullar toma posse na Academia Maranhense de Letras

Ferreira Gullar assumiu nesta sexta (5) a cadeira nº 37 da ABL (Academia Brasileira de Letras), sucedendo ao poeta e tradutor Ivan Junqueira

Publicação: 05/12/2014 22:48

 
 (Reprodução)
Numa cerimônia concorrida, o poeta maranhense Ferreira Gullar, de 84 anos, assumiu nesta sexta (5) a cadeira nº 37 da ABL (Academia Brasileira de Letras), sucedendo ao poeta e tradutor Ivan Junqueira (1934-2014). 

Em seu discurso, de linguagem simples e pontuado por anedotas, Gullar falou sobre o caminho que o levou à Academia e homenageou seus antecessores. Entre os convidados estavam a atriz Fernanda Montenegro e o cartunista Ziraldo. O evento aconteceu no salão nobre do Petit Trianon, a sede da Academia, no centro do Rio. Vestindo o fardão de acadêmico, Gullar abriu seu discurso agradecendo aos amigos acadêmicos que tanto insistiram para que ele se candidatasse a uma vaga na casa, como José Sarney, Eduardo Portella, Ana Maria Machado, Cicero Sandroni e Antonio Carlos Secchin.

"Aproveito para pedir desculpas por tanto ter me esquivado à sua paciente generosidade", declarou. Desde sua candidatura, Gullar vem sendo alvo de críticas por inconsistência. Ele, que é conhecido por sua postura transgressora, estaria traindo seu passado ao participar de uma instituição que representa a tradição e o 'establishment'. Gullar referiu-se à guinada como coerente com suas escolhas na vida, sempre surpreendentes. "Como minha vida tem se caracterizado não pelo previsível, mas pelo inesperado, ao decidir-me pela candidatura à que nunca aspirei, agi como sempre agi, ou seja, optar pelo imprevisível. Estou feliz da vida, uma vez que, aos 84 anos de idade, começo uma nova aventura pelo inesperado que a algum lugar desconhecida há de levar-me. Pode alguém se espantar ao me ouvir dizer que posso encontrar o novo nesta casa que é o reduto próprio da tradição. E pode ser que esteja certo. Não obstante, como na vida, em qualquer lugar, em qualquer momento, o inesperado pode acontecer". Seguindo a tradição, homenageou os ocupantes da cadeira 37: Alcântara Machado, Getúlio Vargas, Assis Chateaubriand, João Cabral de Melo Neto e, finalmente, seu antecessor e amigo, Ivan Junqueira.

POR: O IMPARCIAL