sábado, 21 de fevereiro de 2015

#Polícia anuncia retomada na investigação de agiotagem no MA

                 Delegado confirmou retomada em entrevista nesta sexta-feira (20).
                  Segundo SSP, 41 prefeituras estariam envolvidas em esquema.

Do G1 MA
                                             
A Polícia Civil do Maranhão anunciou que vai reabrir a investigação sobre a máfia de agiotagem no Estado. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, 41 prefeituras de municípios maranhenses estariam envolvidas com o esquema de agiotagem. A confirmação foi feita pelo delegado-geral da Polícia Civil, Augusto Barros Neto, em entrevista à rádio Mirante AM.

O inquérito está engavetado desde 2013. Semana passada, o atual secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela, anunciou a retomada das investigações. Ex-prefeitos de municípios, empresários e integrantes da quadrilha envolvida na execução do jornalista Décio Sá, em 2012, também serão investigados.
Segundo a polícia, durante a investigação, podem ser solicitadas à Justiça as prisões dos envolvidos, apreensões de bens e bloqueios de contas bancárias. As investigações já apontaram que a ação de agiotas causou um prejuízo aos cofres públicos de dezenas de milhões de reais.
Esquema
Durante a investigação da morte do jornalista Décio Sá levou a polícia a descobrirem um esquema de agiotagem entre as prefeituras do Maranhão que o jornalista investigava. Segundo a polícia, os envolvidos faziam parte de uma quadrilha de agiotas que financiava campanhas de candidatos a prefeituras no interior do Estado e na capital. Quando venciam as disputas eleitorais, os prefeitos pagavam a dívida com dinheiro público.
Segundo as investigações, o grupo de agiotas teve ligações com 41 prefeituras maranhenses, entre 2009 e 2012, e desviaram cerca de R$ 100 milhões. A Polícia Federal, também, investiga a quadrilha pelo desvio de recursos federais.

Municípios e gestores envolvidos
Entre os municípios investigados estão Apicum-Açu, Arari, Bacabal, Brejo, Cajapió, Cândido, Mendes, Cantanhede, Caxias, Coelho Neto, Cururupu, Dom Pedro, Lago Verde, Lagoa Grande, Magalhães de Almeida, Marajá do Sena, Mirador, Miranda do Norte, Mirinzal, Nina Rodrigues, Paço do Lumiar, Pastos Bons, Paulo Ramos, Penalva,  Pindaré Mirim, Pinheiro, Rosário, Santa Luzia, Santa Luzia do Paruá, São Domingos do Azeitão, São Domingos do Maranhão, São Francisco do Brejão, São João do Sóter, São Luís, Serrano do Maranhão, Sucupira do Riachão, Timon, Turilândia, Tutoia, Urbano Santos, Vargem Grande e Zé Doca.

Na época, o G1 fez o levantamento com os nomes dos gestores que estavam à frente dos 41 municípios investigados pela polícia e Ministério Público por participação no esquema milionário de agiotagem no Maranhão, no período de 2009 a 2012.